27 de janeiro de 2015

Brigadeiro de Ovomaltine



Quem acompanha o blog sabe do meu amor por brigadeiro. Quando criança, comia o quitute feito com achocolatado, mas com o passar dos anos fui descobrindo outros sabores e fazendo testes. Primeiro o chocolate em pó, depois o amargo, o belga e todas as outras possibilidades que surgiram com a onda gourmet, que tomou conta da gastronomia. E, mesmo provando os sabores mais inusitados, ainda prefiro o chocolate como ingrediente principal.

Costumo dizer que brigadeiro é doce que exige amor e paciência no preparo. Sem pressa. Precisa esperar o tempo dele. Mexer com tranquilidade. Em fogo baixo. E, assim, ser arrebatado pelo aroma, pela cor de chocolate, pela textura mudando e pelas bolhas anunciando que o doce está chegando no ponto. Porque doce sem ponto não tem corpo, nem graça. O ponto? Quando desgruda do fundo da panela, como numa dança suave, pra lá e pra cá. A aparência? Cremosa, brilhosa, irresistível.

Um teste que veio pra ficar foi o brigadeiro de ovomaltine. Docinho e reconfortante. Sucesso de público por aqui.

Ingredientes:
- 1 lata de leite condensado
- 4 colheres de sopa de ovomaltine
- 1 colher de sopa de manteiga extra (tem mais leite e ajuda na cremosidade)
- 2 colheres de sopa de creme de leite (vai ajudar a segurar seu brigadeiro cremoso por mais tempo)

Modo de Fazer:

Ponha todos os ingredientes numa panela. Se ela tiver um fundo mais grosso, tanto melhor; distribui o calor de maneira uniforme a não dá chance para o docinho pegar no fundo. Leve ao fogo baixo e misture devagar até que a massa se desprenda do fundo da panela. Este é o momento exato de desligar. Leva mais ou menos 15 minutos. Ponha o brigadeiro em um prato untado com manteiga e espere esfriar por até 1 hora.


Unte as mãos, faça bolinhas com a ajuda de uma colher de chá, e passe no granulado. Pode ser o granulado de sua preferência, mas se eu pudesse dar uma sugestão, diria que o granulado belga ao leite fica incrível com ovomaltine. Vale o investimento para caprichar na finalização e no sabor.




23 de janeiro de 2015

Água Aromatizada


Da série bebidas refrescantes, a água aromatizada é uma das minhas preferidas. Gosto muito de preparações fáceis, saudáveis e elegantes. Conhecemos essa ótima opção no DPNY, nosso hotel de praia favorito, que fica em Ilhabela, no Litoral Norte de São Paulo. Os hóspedes são recebidos com jarras de água aromatizada. Gentilezas que a gente ama!


No verão, a única coisa que precisamos é de um refresco gostoso para enfrentar o calor, hidratar o corpo e desintoxicar. Temperar a água é uma excelente opção para variar o consumo de líquidos. Gosto bastante de usar cítricos como limão tahiti, siciliano e laranja, combinados com hortelã. Há, no entanto, muitas outras combinações possíveis. Podemos usar carambola, abacaxi, maracujá, uvas, romã e até as frutas vermelhas (morango, framboesa, amora, mirtilo e groselha). Ervas como manjericão e alecrim são bons complementos. Tente ainda acrescentar especiarias para um sabor mais marcante: canela em pau, cravo, anis estrelado e gengibre. E que tal ousar e pensar numa linda pimenta dedo de moça inteira na nossa jarra de água? Combine cores e sabores pensando em ingredientes frescos e aromáticos.


Sugestão de preparo:
- 1 litro de água
- 1 laranja pera cortada em rodelas
- 1 limões tahiti cortado em rodelas
- 5 galhinhos de hortelã
- gelo

Deixe descansar por, no mínimo, 30 minutos para acentuar o sabor.

Água aromatizada é um coringa para os dias quentes. Bonita e versátil. Uma dica bacana é ter sempre uma jarra pronta para receber os amigos, servir antes das refeições ou ainda bebericar durante um dia comum. Afinal, quem não gosta de um mimo?    

Invista numa jarra transparente, que pode ser de vidro ou acrílico, para deixar o visual ainda mais interessante, Suqueiras também estão na moda e são uma graça.


19 de janeiro de 2015

Pink Lemonade


O suco de limão é uma ótima opção para o verão. Refresca e mata a sede. Imagine então uma limonada rosa, cheia de charme. A primeira vez que tomei esse suquinho, típico dos Estados Unidos, foi numa feirinha gastronômica. Era um domingo de muito sol no Parque do Ibirapuera, na Zona Sul de São Paulo. E depois de ótimos sandubas e comidinhas, nós queríamos mesmo era um bom refresco. E que grata surpresa foi a limonada rosa. Eu já conhecia, mas não podia imaginar que era tão boa. Bonita e fácil de fazer. Não demorou nada para que a receita ganhasse nossa casa e todos os amigos.

Ingredientes:

- 2 litros de água
- suco de 4 ou 5 limões
- 300 ml de suco de cranberry
- açúcar ou adoçante a gosto
- gelo

Prepare a limonada tradicional. Você pode usar limão tahiti ou siciliano, ou ainda misturar os dois. A dica é ir provando. E, por último, coloque o suco de cranberry. A quantidade sugerida é para um rosa mais clarinho. Se você não encontrar esse suco, pode usar outra opção de frutas vermelhas ou até a boa e velha groselha. Neste caso, tenha cuidado com a quantidade. A groselha é bem mais doce do que o suco, 50 ml devem ser suficientes.


14 de janeiro de 2015

Quadradinhos de coalho com mel de alecrim


O queijo coalho é muito versátil na cozinha. Petisco indispensável no churrasco, ele também é bom acompanhamento para a comidinha caseira e fica ótimo até com os doces de fazenda como bananada, doce de abóbora, cocada mole e doce de leite.

O queijo típico do Nordeste do país ainda pode se tornar uma entradinha deliciosa, além de muito elegante. O preparo é fácil e rápido.

Ingredientes:

- 250 gramas de queijo coalho
- 2 colheres de sopa de mel
- 1 colher de chá de alecrim

Modo de Fazer:

Misture o mel com alecrim e reserve para aromatizar.

Corte o queijo em quadrados de 2,5 cm x 2,5 cm. Leve os cubinhos para grelhar em uma frigideira com antiaderente. Doure todos os lados do queijo.

Disponha os quadradinhos em um prato raso. Coloque o molhinho de mel e alecrim em um ramekin ou porcelana delicada e sirva junto.

A sugestão é apresentar o queijo espetado em palitinhos para facilitar na hora de comer. Eu, particularmente, não gosto de palitos de dente para servir. Eles têm muita utilidade na cozinha, mas para comidinhas, prefiro palitos enfeitados ou de bambu. Fica mais bonito e delicado. Charme nunca é demais e faz toda a diferença. Mas isso já é assunto para outra conversa.

13 de janeiro de 2015

Panquecas americanas

Morangos orgânicos e Nutella
Tanto tempo sem passar por aqui. Pra matar a saudade, uma receita maravilhosa e uma promessa de aparecer muito mais em 2015.

Um ano novinho começou e algumas coisas nunca mudam. Minha refeição preferida continua sendo o café da manhã. Estou sempre procurando um lugar ou receita bacana pra alegrar meu desjejum. Não lembro quando foi a primeira vez que comi a panqueca americana, talvez em algum brunch de domingo. Foi paixão. Mas, para ficar realmente gostosa, a panqueca precisa ser fofa, delicada, leve e bem gordinha, Não gosto de massa seca ou passada demais. 

Já fiz muitas receitas em casa. Todas boas, mas nenhuma ótima como a do chef Richard Turner, que adotamos por aqui e Marcos acha que pode comer todos os dias (risos). O preparo é fácil. Faça com as próprias mãos, sem mixer, nem liquidificador, muito menos batedeira. Um fouet ajuda que é uma beleza. Use todos os ingredientes em temperatura ambiente para facilitar. E não se apaixone se puder.  


Ingredientes:

- 1 xícara e 1/2 de farinha de trigo
- 3 colheres de sopa de açúcar
- 1 colher de sopa de fermento em pó
- 1/4 de colher de chá de sal
- 2 ovos grandes em temperatura ambiente
- 1 xícara e 1/4 de de leite em temperatura ambiente
- 3 colheres de sopa de manteiga sem sal

Limonada rosa acompanha no lanche da tarde
Modo de Preparo:

Derreta a manteiga e reserve para esfriar. Em uma tigela, misture a farinha, o açúcar, o fermento e o sal. Em outro recipiente, bata os ovos e adicione o leite. Junte a manteiga à mistura de ovos e leite e mexa até incorporar. Junte os líquidos aos secos e misture apenas para agregar os ingredientes.

Para cozinhar, eu uso uma frigideira de fundo grosso e antiaderente, que funciona muito bem sem untar. Avalie a sua e, se precisar, uma pincelada de manteiga resolve. 

Aqueça a panela e coloque a massa com a ajuda de uma concha. O tamanho você escolhe. As pequeninas ficam muito fofas para servir em uma reunião de amigos. Se for para um café com o marido, prefiro um tamanho médio. A receita inteira tem ótimo rendimento; cerca de 20 panquecas médias. Quando as primeiras bolhas aparecerem na massa, já está na hora de virar, com a ajuda de uma espátula. Aí é só esperar terminar o cozimento do outro lado. Menos de 1 minutinho. Ela vai crescer, dourar e pronto. 

As primeiras bolhas de cozimento
Dicas para servir:

Há uma infinidade de acompanhamentos, desde uma simples polvilhada de açúcar de confeiteiro até uma calda caprichada de chocolate. Nosso acompanhamento preferido (vício?), são morangos e Nutella. Outras sugestões são manteiga, cream cheese e requeijão; frutas como banana, blueberries, framboesas e amoras; oleaginosas como nozes e castanhas; doce de leite, brigadeiro, além de mel e a tradicional calda de mapple syrup, a preferida dos americanos. 

Vale servir no café da manhã, no brunch de domingo, no lanche da tarde ou até inventar uma festa temática, só de panquecas, com vários acompanhamentos para deixar qualquer amigo maluco. 
  

6 de outubro de 2013

Bolo de chocolate saudável


Foram meses de ausência. Um período de transformações, principalmente na nossa alimentação. A  decisão pela reeducação alimentar não é fácil quando temos enorme prazer em cozinhar e comer. Exige disciplina e sobretudo criatividade para comer corretamente sem abandonar algumas pequenas alegrias. Foi o melhor caminho. Sem radicalizar. Podemos comer de tudo, mas com moderação. Até um doce pra não deixar a rotina tão sem graça. Fizemos muitos testes na cozinha. Uns desastrosos. Já outros acabaram se mostrando gratas surpresas. Não é assim tão simples trocar os brancos por integrais e incluir açúcares mais saudáveis na dieta sem prejudicar o sabor das preparações. Muitos quilos indesejáveis já se foram e ganhamos um cardápio mais variado e interessante, que vamos dividir aqui com vocês. Vou começar compartilhando um teste que me deixou muito feliz. Um bolo de chocolate (minha paixão!) sem glúten e sem lactose. Uma tentativa despretensiosa de alegrar as lombrigas sem sair da rotina.

Ingredientes:
- 5 ovos
- 1/2 xícara de chá de óleo de canola (milho ou girassol)
- 5 colheres de sopa de chocolate em pó (usei o do padre de 50%)
- 6 colheres de sopa de açúcar mascavo
- 4 colheres de sopa de fécula de batata
- 100 gramas de coco ralado 
- 1 colher de sopa de fermento em pó



Modo de fazer:
Coloque todos os ingredientes no liquidificador, começando pelos líquidos e terminando pelo fermento. Bata até obter uma massa homogênea e cremosa. Despeje a mistura em uma forma média de bolo inglês untada e enfarinhada (use a fécula para preparar a forma). Leve para assar em forno já aquecido a 180 graus por 25 a 30 minutos. 

O resultado é um bolo muito fofo, úmido e cheio de sabor de chocolate. O coco substitui a farinha e a fécula deixa a massa um pouquinho mais consistente sem pesar. Quem gostar de sabores ainda mais marcantes pode trocar o chocolate em pó por cacau 100%. Outra substituição possível é adicionar açúcar demerara no lugar do mascavo. E você pode ainda trocar a fécula de batata por amido de milho. E viva as possibilidades!!! Prove e depois me conte. 

Dica: o bolo é muito leve e pode murchar um pouco caso você tire do forno imediatamente após ficar pronto. É apenas uma questão estética. Você pode desligar o forno e deixar a porta um pouco aberta por alguns minutos antes de tirá-lo. 



15 de janeiro de 2013

Batata Rústica


Eu sou a rainha dos acompanhamentos. Não existe boa comida caseira sem batata. Marcos sempre me diz que eu pareço meu pai - não vive sem uma batatinha pra dar aquela graça no tradicional arroz com feijão. Não me importa se tem salada, carne, farofa. Não me tirem esse prazer. Desde criança a gente carrega a paixão pela batata frita, mas ao longo da vida conhecemos outras maneiras de preparar essa delícia. Não sei exatamente onde vi ou como aprendi a preparar a batata rústica. A verdade é que se tornou um vício por aqui e nas casas por onde passo. Adoro divulgar guloseimas. Uma alternativa à fritura, a batata rústica vai bem como acompanhamento, entrada e até petisco. Fica deliciosa com carne vermelha, frango e até peixe. E com hambúrguer é de comer rezando. Resista se puder!


Ingredientes:
- 3 batatas grandes
- 4 colheres de sopa de azeite
- 3 ramos de alecrim (fresco é sempre melhor, mas pode ser seco também)
- sal grosso ou flor de sal a gosto
- pimenta do reino a gosto


Modo de Fazer:

Você pode fazer com ou sem casca. Eu prefiro a segunda opção. Descasque, lave bem, seque com a ajuda de papel toalha e corte as batatas em gomos. Quanto mais gordinhos, melhor. Por aqui, fazemos em 4 gomos. Ela fica macia por dentro e crocante por fora. Coloque as batatas em uma forma, de preferência antiaderente, regue com azeite, tempere com sal e pimenta a gosto e finalize com as folhinhas de alecrim. Leve ao forno, previamente aquecido a 180 graus, por 40/50 minutos ou até dourar. Vire as batatas no meio do processo. Sirva imediatamente.

Se preferir, coloque dentes de alho inteiro e descascados.